O estudante Leandro Cabral, do curso de Tecnologia em Sistema de Telecomunicações do Instituto Federal da Paraíba (IFPB), lançou, há dois dias, o aplicativo ‘COVID 19: Utilidade Pública’, para combater fake news e preços abusivos durante a pandemia.

“Eu desenvolvi o aplicativo com o intuito de ajudar os usuários com informações acerca da atual situação mundial relacionada ao coronavírus de forma ágil, fácil e com credibilidade, fugindo, dessa forma, das fake news”, frisa Leandro. Ele acrescenta que o aplicativo também conta com recursos nos quais os usuários podem denunciar a prática de preços abusivos a órgãos competentes, como o Procon.

Baixe aqui o Aplicativo da Sófesta FM e ouça a nossa programação 24h.

O aplicativo conta com 4 módulos. O primeiro é o ‘Situação Mundial’ (em tempo real). Nele, o usuário tem a opção de ver como está atual situação de seu país ou estado por meio de informações gráficas e números estatísticos, além de notícias verídicas. ‘Sobre o coronavírus’ é o segundo módulo e nele o usuário tem a possibilidade de saber como se proteger, quem está no grupo de risco e o motivo da quarentena, entre outras informações. As outras duas opções são utilizadas para denúncia. No módulo ‘Procon PB – Denúncia Online’, o usuário tem a opção de fazer uma denúncia formal junto ao órgão responsável. Já a opção ‘Denúncia Online via Whatsapp’, o usuário tem a possibilidade de manter contato com o órgão de forma instantânea e sem burocracia. A denúncia é enviada e o usuário tem um retorno mais ágil.

“Ainda não existe nenhum app similar, que leve informações e ao mesmo tempo o usuário tenha a opção de denúncia tudo em apenas uma plataforma de forma simples, rápido e sem burocracia, tudo na palma da mão”, destaca Leandro Cabral.

A ferramenta já conta com mais de 100 downloads. Para instalar, basta acessar a página do aplicativo no site Uptodown. Ao clicar no app, o usuário tem que permitir a instalação em seu aparelho. “O aplicativo está disponível apenas para plataforma Android, porém estou desenvolvendo uma versão para plataforma iOS”, diz o estudante.

Do Portalcorreio